Logótipos: Fundação Champalimaud

 
 
 
 

Hoje além de ser o centenário da implantação da República é também o dia em que A Fundação Champalimaud assinala o final das obras de construção do “Champalimaud Centre for the Unknown” uma grande estrutura em Lisboa que se dedica à investigação científica. Este centro é um edifício de autor com uma implantação massiva na margem do rio Tejo, representa uma fundação ávida pela descoberta e pela perseguição de curas para diversas doenças, foi com um grande desalento que vi o logótipo da fundação depois de uma pequena pesquisa na internet.

 
 


Um logótipo muito simples, que usa cores primárias como o azul e o vermelho e de igual forma uma geometria primária, o logótipo é o monograma CF Champalimaud Foundation e falta-lhe de todo a alma que seria necessária para representar a instituição. O logo é extremamente simples o que por si só não é um problema ou uma falha, esta falha ocorre porque nos logótipos simples é muito difícil compor da melhor forma. Este exemplo parece-nos um caso de falta de investimento na imagem gráfica, o logótipo parece ter aquela aura de supermercado nos anos 90! O azul e o vermelho são combinados de uma forma tão crua e o seu contraste é chocante demais, depois o f a negro a completar uma composição cria um novo contraste extremamente forte, não há harmonia e equilíbrio O c sobrepõe-se ao f num pormenor muito mal conseguido que cria um ruído gráfico flagrante. Achamos que esta instituição merecia um logo mais representativo, que buscasse a inovação, a tecnologia, a filantropia e a monumentalidade que lhe estão inerentes.


 


Não sabemos quem é o autor do trabalho mas pedia-se muita mais criatividade, liberdade e poética à semelhança com o que vemos no edifício que falamos no início deste texto.

Concluindo, a fundação pelo que representa e pela herança e legado que é de um grande homem da economia portuguesa, António de Sommer Champalimaud  deveria ter uma identidade gráfica que nos transmitisse um mundo muito mais rico do que aquilo que actualmente nos transmite que é basicamente falta de investimento no design gráfico.
 





Blog Logótipo.pt

Pretendemos fazer uma analise descontraída ainda que convicta dos nossos trabalhos e também dos trabalhos de outros designers...

Tentamos sempre ver os pontos positivos de cada caso e de igual forma os pontos negativos e expô-los perante o leitor que pode comentar os nossos textos e participar com a sua opinião acerca do que criticamos e do que criamos.


site.pt

Artigos Relacionados



6 comentários em “Logótipos: Fundação Champalimaud

  1. Discordo em absoluto das opiniões formuladas. Ao contrário dos outros comentadores, considero este logótipo magnífico porquanto, para além das letras f e c, há nele imagens muito representativas da missão desta instituição. Há um doente, cuja cabeça é representada num círculo dentro de outro círculo – a almofada, e cujos braços são a parte superior do f. A mão direita do doente recebe o conforto de alguém, sugerindo-se a humanidade e o carinho no tratamento ao doente. Distanciando- nos desta imagem, podemos encontrar outra: a cabeça é ainda uma cabeça, mas onde antes víamos uma almofada vemos agora alguém que trabalha sentado a uma secretária – o f -, com a mão direita ligeiramente apoiada nessa secretária. Trata-se agora da imagem do médico/investigador. Por isso pergunto: onde está a pobreza deste logótipo, um dos melhores que já vi?

    1. Tem direito à sua opinião tanto quanto nós e os outros comentadores. As coisas que refere são retiradas da sua imaginação ou tem informações concretas acerca das ideias por detrás do conceito do logótipo?

        1. A sua visão revela bastante criatividade mas um logótipo precisa comunicar claramente as intenções e simbologias a que se propôe. Se a ideia de quem criou o logótipo não conta com a sua leitura então não podemos dizer que ela está na génese do design. Mantemos o que dizemos no nosso texto. Obrigado pelo seu interessante comentário.

Comente ou deixe a sua opinião

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *